As 3 etapas (mais marcantes) do processo de gravação


Nada de errado quando precisamos compreender as noções BÁSICAS de algum assunto, afinal, "ninguém nasceu sabendo". Vamos tratar do assunto GRAVAÇÃO desde o início até o fim, destacando as 3 etapas que são determinantes para todo o processo. Gravação, Mixagem e Masterização.

Vamos pela ordem dos eventos, em primeiro lugar (e talvez o mais valoroso) temos o compositor/autor que entra nessa história com a idéia da letra e música, afinal de contas, tudo começa com uma idéia. Com a composição realizada, entra em cena o arranjador, lapidando o talento do compositor obtendo uma "forma" estética desejada.

Com a música arranjada (e preferivelmente escrita em forma de cifra ou partitura) chega a hora de "entrar" em estúdio para as gravações.

PRIMEIRA ETAPA - GRAVAÇÕES

Aqui no Blog coloquei Gravação como etapa 1 e já perceberam que não é verdade, o trabalho começou "lá atrás" com o momento de inspiração do compositor. No estúdio é responsabilidade do produtor, do artista, dos músicos, dos técnicos, dos assistentes e seja lá de quem for o incumbido de fazer o café, executar todas as devidas tarefas com maestria. Muitos detalhes podem ajudar nessa hora, cordas novas para o violão e a guitarra, afinador sempre a mão, paciência, bom humor e (por favor) pausas para o café, afinal todos precisam "descansar" um pouco os ouvidos.

O QUE É INDISPENSÁVEL NESSA ETAPA: Capturar (gravar) todos os instrumentos e vozes com a devida interpretação. Essa é uma questão mandatória, pois mesmo com todos os recursos que temos a disposição, a interpretação no exato momento da gravação, seja dos músicos assim como dos cantores é única e insubstituível, é algo que irá acompanhar a gravação até o final do processo.

Depois de tudo gravado, nós que vivemos em plena era digital, podemos fazer fruto destas incríveis ferramentas. Copia, cola, arrasta daqui, empurra pra lá, afina os vocais, conserta a virada da batera (essa foi pra mim mesmo, eu que já fui baterista "a long time ago, in a galaxy far away...").

SEGUNDA ETAPA - MIXAGEM

Tudo gravado, tudo editado, ok ... vamos mixar. Não importa quantos canais foram gravados, pode ter apenas 1 canal ou (hoje em dia, tudo é possível) 200 canais, a mixagem vai fazer a mistura entre todos eles, equilíbrio de volume e frequências, são inúmeros detalhes que somam-se para obter o resultado esperado.

O QUE É INDISPENSÁVEL NESSA ETAPA: Usando todas as ferramentas que tem disponível, compressores, equalizadores, reverbs, delays, é trabalho do engenheiro de mixagem decidir e escolher de que forma vai esculpir o som que foi gravado para alcançar a idéia/proposta artística.

TERCEIRA ETAPA - MASTERIZAÇÃO

Pense na masterização como sendo uma "cola", ligando e melhorando sonicamente a mixagem. A sessão de masterização é o último passo criativo do processo de produção de um fonograma. É a última chance da música obter uma qualidade sonora superior e por ser a última etapa, pode-se dizer que é a mais influente de todas. Isso significa que precisa de alguém com habilidade para fazer sua master.

O QUE É INDISPENSÁVEL NESSA ETAPA:

  • O engenheiro de masterização analisa o som como um todo e decide como pode ser aprimorado.

  • Volume e pressão sonora (por favor engenheiros de mixagem, parem de se preocupar com isso)

  • A Masterização direciona a música para a forma estética final, fazendo-a ser emocionalmente melhor compreendida e apreciada pelo público alvo.

  • Compilar todas as faixas de um álbum fazendo com que sejam sonoramente coerentes e a transição entre faixas suave.

  • Nomear corretamente todos os dados da música e do artista, que ficarão gravadas digitalmente no arquivo ou mídia e servirão de "TAGS" para busca (assim como o código ISRC).

Pode parecer "redundante" em relação a Mixagem e talvez seja por isso que é difícil explicar de uma forma sucinta o que é Masterização. É a última injeção de "vida" na música? É a compressão final que estamos acostumados a ouvir nas músicas que tocam nas rádios? É uma notável ajuda para fazer com que a música "soe" mais "dramática" e emocionante? Sim, a masterização é tudo isso. E um bom engenheiro de master pode surpreendê-lo ainda mais.

Perguntei pra minha esposa, "De que jeito simples, poderia explicar a masterização?" Ela disse: "Faz analogia...", pois bem, então aqui vai: Pra definirmos a diferença entre Mixagem e Masterização:

Imagine que vai construir um carro. Você precisa montar e encaixar todas as peças pra fazer o carro funcionar. Essa é a Mixagem, juntar todas esses elementos de forma correta no lugar certo.

Depois da montagem, imagine que você precisa de fato usar o carro para uma viagem, você coloca óleo de motor, gasolina, calibra os pneus, vai até o lava-car e dá aquele polimento, pra deixar tudo limpo e brilhando. Deixa o carro lindo "de fazer inveja" e pronto pra pegar estrada. Essa é a Masterização.

A masterização também é responsável pela conversão da música nos mais diversos meios de execução: rádios, CD, Youtube, Spotify, SoundCloud, iTunes, Discos de Vinil, etc ...

DETALHE IMPORTANTE: Já disse que não importa quantos canais tem na sessão de mixagem, o resultado (quase) sempre é um único arquivo ESTÉREO (excessões são mixagens surround e mixagem em "stems", podemos tratar do assunto em outro Blog). É esse arquivo estéreo que deve ser encaminhado para a Master.

Efetivamente a distribuição digital e física da música pode ser considerada a etapa que encerra o ciclo, envolvendo, artes gráficas, marketing, publicidade, promoções, shows, etc...

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Contato WhatsApp

+55 11 97669 7572

©2016 by Masterização Online

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now